quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Ofertas

Mc. 12:41: “E, estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão lançava o dinheiro na arca do tesouro;”.

O contexto de onde se encontra esse texto é revelador: Jesus estava acabando de purificar a vida religiosa (templo), política (tributo a César) e financeira do povo (oferta da pobre viúva). Portanto nele, encontramos métodos que purificarão nossa vida financeira;

O contexto diz ainda que Jesus estava ensinando no templo: Esse texto é também um ensino de Deus para nossa vida, em questão de como equilibrar riquezas e fé.

Esse texto representa dependência de Deus:
No meio de todas essas enormes quantias, aparece uma pobre viúva, além de pobre era viúva, além de viúva era pobre. Essa mulher não tinha humanamente falando de onde tirar recursos para pagar suas dívidas, era pobre e estava viúva. Sua oferta não cobriria seus gastos, têm tantos que não devolvem o dízimo ou entregam a oferta pensando que com isso, farão alguma coisa, mas não farão, então não retenha sua oferta, ela não pode cobrir seus gastos, mas pode impedi-lo de obter o melhor de Deus se não for semeada.  Essa mulher ofertou o que hoje equivaleria a dois centavos.
O que você faria, com dois centavos? Qual despesa sua, pode ser paga com dois centavos? Às vezes, tem gente que não oferta na igreja, na célula, por pensar que a quantia é pequena, mas vamos aprender com esse texto a ofertar independente da quantia.

Jesus estava apenas observando o comportamento dos ofertantes: Ele simplesmente viu os ricos lançarem ali suas enormes quantias. Jesus observa esse momento como qualquer outro momento do culto, da célula. Jesus observa seu coração, não apenas a quantia, Jesus está interessado na sua motivação de depender de Deus, de colher o que plantou.

Esse texto ensina-nos á confiar nossas finanças a Deus no melhor e no pior: Havia a pobre viúva que semeou sua oferta e essa oferta era no ponto de vista natural a pior oferta do dia, havia ainda os ricos que lançavam ali grandes quantias, do ponto de vista natural essa era a melhor oferta. Devemos ofertar quando temos dois centavos (a oferta da pobre viúva) e quando temos muito
 (a oferta dos ricos)
. Se nós ofertarmos somente quando temos muito, não teremos a verdadeira riqueza, pois para ser fiel no muito se deve ser fiel primeiro no mínimo, se é infiel no mínimo, é infiel no muito.

Jesus está o observando hoje, para ver qual será sua atitude, seu comportamento ao semear na igreja, na célula. É dependendo dele que sua colheita será estabelecida: Quem planta pouco, pouco também colherá; Quem planta com comportamento errado, colhe sementes erradas. Venha confiar suas finanças a Deus no melhor e no pior e ver o Senhor transformá-la radicalmente.