sexta-feira, 15 de abril de 2011

TENTAÇÃO: A VISÃO BÍBLICA SOBRE ESTE FATO!

 FATOS SOBRE A TENTAÇÃO

è Há uma diferença entre tentação e provação:

Provação: Dificuldades, sofrimento, testes da nossa fé. Não sendo na maioria das vezes algo maligno ou provocado pelo mal.

Tentação: Tendência para procurar o mal. É a motivação que move você sendo mau prometer algo bom.

Um olhar no dicionário dirá a você que tentação é: “impulso para a prática de alguma coisa censurável ou não recomendável”

è Quatro fatos sobre a tentação:

  1. A tentação é inevitável

Quando alguém for tentado, jamais deverá dizer: “Estou sendo tentado por Deus”. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. – Tg 1:13

Quando implica que haverá um momento que infalivelmente você será tentado não por Deus, mas pelo Maligno:

“Por essa razão, não suportando mais, enviei Timóteo para saber a respeito da fé que vocês têm, a fim de que o tentador não os seduzisse, tornando inútil o nosso esforço”. – 1 Ts 3:5

  1. A tentação é presente e está presente em todas as pessoas

“Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido”. – Tg 1:14

A tentação é algo inerente a todas as pessoas, mesmo que elas não estejam presentes no momento que ela ocorreu, só o fato de a pessoa que esteve presente na tentação, contar a outra pessoa que não esteve, a pessoa que não esteve imagina como teria sido se ela estivesse lá, então, ela se sente seduzida e arrastada a praticar o mal contado.

Charles Swindoll diz em seu livro “perseverança” algo muito interessante:

Seria maravilhoso se pudéssemos viver sem ter de enfren­tar tentações. O fato é que não podemos. Se você pensa que encontrou algum lugar, um segredo único de vitória cristã, um lugar perfeito, uma ilha desabitada, uma igreja ideal, al­guma área onde não haja possibilidade de tentação, não vá para esse lugar. Porque a sua presença irá estragá-lo. Veja bem: quando você vai, leva consigo a sua mente — seus pensa­mentos —, que é o veículo da tentação. Jamais estaremos num lugar na Terra onde não exista tentação. Jamais. O monge que vive enclausurado atrás de muros luta com tentações tão reais quanto o negociante em Nova York, Chicago ou Los Angeles. O vendedor que enfrenta as ten­tações da vida competitiva não trava batalha com sedu­ções menores (ou maiores) do que alguém envolvido no ministério cristão. Todos enfrentamos a tentação. É inevi­tável. Não podemos fugir dela.

  1. A tentação é assunto individual

Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido. – Tg 1:14

O apóstolo Paulo escrevendo aos Coríntios disse:

Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar. – 1 Co 10:13

A tentação é algo “comum aos homens”, não apenas os do sexo masculino, mas também é comum às mulheres.

Quando falamos de algo comum, falamos também que todos participam, mas de modo individual, pois todos temos em comum, o fato de morarmos em uma casa, contudo, essa casa é individual, personalizada, assim também ocorre com a tentação, ela está presente em todos nós, mas em cada um, ela age de forma diferente, pois as vulnerabilidades são diferentes!

  1. A tentação que leva ao pecado, segue o mesmo processo.

Alguém já disse que Satanás e seus demônios não mudam a estratégia, pois são espíritos. O mesmo processo que desencadeou a queda humana é o mesmo processo que eles utilizam para afastar-nos de Deus, claro que os meios ficaram mais sofisticados, mas em si, a raiz é a mesma.

Alguém já disse: “A mente é o maior campo de batalha, e a nossa imaginação, o melhor troféu a ser conquistado”.

Pois é lá que acontece a tentação e a consumação do pecado.

Se satanás e seus demônios conseguirem capturar nossa mente e imaginação, eles nos controlarão por completo, pois assim diz Pv 23:7:

“Como imagina em sua alma, assim ele é”.

Sua imaginação e sua mente (Mente faz parte da alma, é uma das faculdades da alma), determinam quem você é!

Martinho Lutero dizia: “Não podemos impedir que passarinhos voem sobre nossas cabeças, mas podemos impedir que façam ninhos nelas”.

O Ap. Marcio Valadão diz: “nosso futuro começa no pensamento”.

Agora, se satanás e seus demônios conseguirem um lugar na mente, o que eles não conseguirão em nós?

Não podemos impedí-los de atacar-nos, mas podemos evitar que nos dominem!

Por isso, o apóstolo Paulo disse aos Coríntios: (2 Co 10:5)

“Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo”.

Qual é então, o processo que leva-nos a tentação?

Entra pelos nossos cinco sentidos, (tato, olfato, paladar, visão e audição)
Enraíza-se em nossa alma, (Mente, vontade e emoções)
Praticamos o ato (Ele sai do campo da imaginação e torna-se ação)

Exemplificando:

Um homem tem um carro de última geração e eu quero um idêntico, então eu vou à loja e compro um, mesmo sabendo que com isso vou contrair uma dívida muito grande.

Primeiro, eu vi o carro de alguém – (Visão é um dos cinco sentidos)
Segundo, eu quis um idêntico – (Tornou-se minha vontade, tocou minha alma)
Terceiro, eu fui e comprei um carro – (Saiu da imaginação e virou ação)

è Como lidar com a tentação

  1. Neutralize a tentação, não a tolere.

Dag Hammaskjold já dizia:

Você não pode brincar com o animal em você sem tornar-se completamente animal, brincar com a mentira sem perder seu direito à verdade, brincar com a crueldade sem perder sua sensibilidade men­tal. Quem quer manter seu jardim em ordem não reserva um canteiro para as ervas daninhas.

Você já viu um jardineiro manter um lugarzinho no jardim para as ervas daninhas? E por que você tem de alimentar a tentação?

  1. Use a resistência certa

O que acontece se um determinado aparelho eletrônico que tem a voltagem de 220, for ligado numa tomada de 110 watts? Ele se queima, certo?

O que acontece com um cristão, se ele utilizar as armas erradas? Ele perde a batalha, certo?

Por isso, para vencermos a tentação, temos que saber coisas básicas:

Nossos inimigos são espirituais – Ef 6:12

Pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.

Nossas armas são espirituais – 2 Co 10:4

As armas com as quais lutamos não são humanas; ao contrário, são poderosas em Deus para destruir fortalezas.

É possível ser tentado, sem cair em pecado – Hb 4:15

Pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.

Toda tentação é limitada por Deus – 1 Co 10:13

Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar.

Considere a vida de Jó, quantas oportunidades para amaldiçoar a Deus e morrer, quantas oportunidades para deixar sua fé no Deus Vivo!

 Mas Deus só permitiu ao diabo tocar em Jó, pois Deus sabia quem Jó era;

Veja:

Disse então o SENHOR a Satanás: “Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal”. – Jó 1:8

Deus sabia como onisciente das virtudes de Jó, Deus sabia que Jó não sucumbiria diante de tantas adversidades!

A tentação que Jó sofreu, foi limitada por Deus:

O SENHOR disse a Satanás: “Pois bem, tudo o que ele possui está nas suas mãos; apenas não toque nele”. – Jó 1:12

O SENHOR disse a Satanás: “Pois bem, ele está nas suas mãos; apenas poupe a vida dele”. – Jó 2:6

Perceba que o grau do ataque ia aumentando, mas sempre debaixo do limite de Deus, pois “Aquele que nasceu de Deus o guarda e o maligno não lhe toca” – 1 Jo 5:18

O Sofrimento final, suprimirá todo prazer transitório do pecado

Leia comigo o que diz Hb 11:25

“Preferindo ser maltratado com o povo de Deus a desfrutar os prazeres do pecado durante algum tempo”.

Quanto dura de acordo com Hb 11:25, o desfrutar dos prazeres do pecado?

Algum tempo! Não é todo o tempo, isso significa que tem fim!

Agora, o que adianta viver toda vida no pecado aparentemente bom, mas passar toda a eternidade longe do Senhor Jesus?

  1. Controle seus pensamentos memorizando a Palavra de Deus

No livro “Heróis da vida Cristã”, Wesley L. Duewel diz que havia uma cristã chamada Francis Havergal que decorou:

Todos os evangelhos, todas as epístolas, e o apocalipse no NT
Todos os profetas e Salmos no AT.

Isso equivale a 39 livros bíblicos, o equivalente a todo o AT, ela havia decorado muitos livros da Bíblia e será que nós sabemos pelo menos um?

Os judeus ortodoxos decoram os livros da Lei desde os 3 anos de idade.

A lei se compõe dos livros de: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. (Formam o Pentateuco)

Constam neles, 613 mandamentos de Deus para Israel! E os judeus tem decorado 613 mandamentos!

 E nós nem sequer como cristãos temos decorado Obadias que é o menor livro do AT., ou então 2 ou 3 João que são os menores do NT.

A recomendação que o apóstolo Paulo faz em Romanos 12:1,2 é:

Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício, vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Como não se amoldar ao padrão deste mundo? Transformando-se pela renovação da mente através da Palavra Escrita e Viva de Deus!

è Como vencer a tentação

A chave para vencer a tentação está no domínio próprio.

A palavra grega para domínio próprio é Enkrateia ou Egkrateia.

Seu significado exato é “na força”.

Só podemos vencer a tentação “na força” de Deus. (Enkratéia Theós)

O léxico de Strong define Egkrateia ou Enkrateia como:

“Auto controle”, ou seja, virtude de alguém que domina seus desejos e paixões, especialmente seus apetites sensuais.

O domínio próprio é tanto:

  1. Fruto do Espírito – Gl 5:22, 23

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.

  1. Virtude a ser exercita – 2 Pe 1:1-8
Seu divino poder nos deu tudo de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude. Dessa maneira, ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornassem participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça. Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade; à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor. Porque, se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em sua vida, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos.

è Considerações finais sobre a tentação

  1. Devemos vigiar e orar para não cairmos em tentações – Mt 26:41; 6:13

Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, pois teu é o poder, o reino e a glória para sempre. Amém.

  1. Devemos socorrer os que caem – Gl 6:1

Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado.

Tão certo como a tentação vem, é mais certo ainda que o socorro de Deus virá, pois nunca vi o justo desamparado – Sl 37:25