terça-feira, 13 de março de 2012

Saindo da teoria, vivendo a prática.

Jr 48:10 – “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor fraudulentamente”

Nos dias de hoje, o “ser crente” está banalizado devido às atitudes dos próprios crentes, que se dizem “crentes”, mas ainda estão no mundo e muitas vezes nem sabem disso.

Isso acontece porque nós sabemos a teoria, mas não temos a prática.
- dízimo,
-honrar pai e mãe,
-obedecer
-adorar a em espírito e em verdade
- não mentir
-dar testemunho.

Todos sabem que dízimo é princípio, que se honrarmos seremos abençoados, que devemos obedecer, que o Senhor procura verdadeiros adoradores, que não devemos mentir, que nossa vida deve ser testemunho. Mas poucos fazem.

Mais do que a teoria, nós também sabemos das promessas e que Deus as cumpre, mas todos olhamos para as dificuldades e para as coisas que teremos de abrir mão. Por isso fazemos a obra relaxadamente, porque não queremos pagar o preço.

Nós não queremos nos afastar de Deus, nem desistir, e principalmente, não queremos perder as bênçãos, mas nós também não queremos ter que nos sacrificar e nem deixar a nossa vontade pela vontade de Deus. É por isso que nos tornamos como, ou piores que os ímpios; é por isso que ninguém mais vê a diferença entre o povo de Deus e as pessoas do mundo, porque assim como elas nós queremos tudo, tanto as bênçãos de Deus como a comodidade e alguns prazeres do mundo.

Mas Deus nos chama para a prática de tudo o que Ele já nos ensinou e ainda vai ensinar. Assim como Jesus e seus discípulos praticaram sem olharem para as circunstâncias.

Para nós fazermos a diferença e sermos crentes de verdade, temos que decidir servir ao Senhor sabendo da teoria e vivendo a prática.

Mt 5: 14-16.