terça-feira, 4 de junho de 2013

A necessidade de vigilância espiritual (Parte 2) - Mateus 25:1-13

Introdução: Vemos nesse texto seis atitudes que nos levam a ser uma igreja prudente. Somos prudentes quando estamos:

1.     Cuidando bem do nosso espírito – Alimentando-O da Palavra

O nosso espírito é a candeia de Deus (Pv. 20:27), todas as virgens tinham suas candeias prontas, o que diferenciou as prudentes das tolas foi o que elas colocaram na sua candeia (no seu espírito). O nosso espírito tem se alimenta tanto quanto o nosso corpo, porém o alimento dele é fazer a vontade do Pai (Jo. 4:34) o alimento dele é a Palavra (Jr. 15:16).

2.     Ajustando o nosso foco de vida com o foco de Deus

A nossa visão de mundo é a nossa candeia (Mt. 6:22), a maneira de como enxergamos à vida vai refletir no nosso relacionamento com Deus. Conta-se uma história de uma garota que tinha enterrado seu cachorrinho no quintal de casa e que havia uma janela no seu quarto que se dirigia justamente para a cova do cachorro e havia outra janela no seu quarto que se dirigia para um belo jardim e que seu avô não agüentando mais vê-la chorar pelo cachorrinho, mostrou-lhe o belo jardim. Com o passar do tempo a garotinha esqueceu-se do Cachorro, porque tirou seus olhos da cova onde estava o cachorro.

3.     Praticando nossa fé

Fé é comportar-se segundo a Palavra de Deus (Pr. Éber Rodrigues). Fé é uma ação correspondente que recebeu o que Deus nos falou (Pr. Éber). a candeia são nossas obras (Mt. 5:16), nossa obra é resultado da nossa fé (Tg. 2:14-26).

4.     Estando em Comunhão – O “Partir do Pão”

O óleo fala da Comunhão – Sl. 133:1-3. A Igreja Primitiva vivia em Comunhão (Koinonia – Tudo em Comum a Todos). É melhor serem dois do que um (É melhor ter comunhão) Ec. 4:9-12. Jesus enfatizou a importância da comunhão em Mt. 18:15-20. Deus é um Deus de Comunhão (2 Co. 13:14 – Tri-Unidade)

Óleo fala da Alegria – Sl. 45:6-7. Alegria é fruto do Espírito (Gl. 5:22-23) é também fruto de um 
relacionamento sadio entre irmãos. Alegria é sinônimo e resultado de comunhão

5.    Protegendo a Unção

1 Sm. 16:12-13 fala que o óleo é sinônimo da Unção de Deus. Precisamos protegê-la do pecado, das heresias, do mundanismo, permanecendo nos ensinos de Deus (1 João 2:27)

6.     Aceitando o Confronto dado por Deus

Sl. 141:5 mostra que o óleo fala da repreensão dada. Deus disciplina quem ele ama (Hb. 12:6-10; Ap. 3:19). O Senhor é Pastor, Pastor corrige ovelha.

Deus nos trata individualmente (Mt. 25:5-9), há coisas que devemos fazer individualmente como cuidar do nosso espírito, ajustar nosso foco, praticar nossa fé, aceitar a correção de Deus. Porque o juízo e a recompensa serão algo individual (Rm. 14:11-12; Jr. 17:10). Mas há coisas coletivas também, porque somos inter-dependentes uns dos outros (Rm. 12:3-8; 1 Co. 12:12) como ter comunhão, guardar a unção.

 Conclusão: É tempo de alinhamento, discernimento e derramamento tanto individualmente quanto coletivamente como Igreja. Alinhamento com o Céu, Discernimento do tempo e derramamento de lágrimas diante de Deus. É tempo de Ação.