Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

História da Igreja - 1ª Parte: A Igreja Apostólica

O QUE É HISTÓRIA?
A palavra “história”, de origem grega, vem de histor aquele que sabe, que conhece, conhecedor da lei, juiz. Pode ser definida como narração metódica dos principais fatos ocorridos na vida dos povos, em particular, e na vida da humanidade em geral.O termo foi cunhado por Heródoto (484 – 425 AC) e tinha as seguintes conotações: informação, relatório, exposição.
A história por razão didática tem sido dividida em quatro períodos. A divisão clássica é:
1)  Idade Antiga – De 4000 AC até 476 DC – Começa com a Escrita e termina com a queda de Roma.
 2) Idade Média – Começa com a queda de Roma e termina com a Queda de Constantinopla, abarca o período de 476 a 1453 DC.
3) Idade Moderna – Inicia com a queda de Constantinopla e termina com a Revolução Francesa, abarca o período de 1453 a 1789.
 4) Idade Contemporânea – Inicia-se em 1789 e estende-se até os nossos dias.
Há várias razões para o cristão interessar-se pela História, Geral e Eclesiástica:
1) O Deus judaico-cristã…

Ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom - I Tessalonicenses 5:21

Uma das coisas que se percebe na História da Igreja é a diversidade de interpretações, mesmo pessoas contemporâneas tinham opiniões divergentes sobre o mesmo assunto, texto bíblico. Por exemplo, Zuinglio e Lutero tinham a mesma hermenêutica, mas divergiam seriamente nas questões da Ceia do Senhor. Um achava que a ceia era ao mesmo tempo pão e corpo do Senhor, o vinho era vinho e ao mesmo tempo sangue do Senhor, ao passo que outro pensava que o pão e o vinho eram apenas símbolos do corpo e do sangue do Senhor, um memorial.
Essa liberdade de interpretação veio em parte do princípio que os reformadores sustentavam: Todo cristão é livre para interpretar as Escrituras, sem depender do aval de Roma. Nessa época, os comentários romanos eram mais importantes que o texto da Escritura. A Igreja Romana sustentava que ela era a “mãe” das Escrituras e da tradição. Ao passo que os reformadores sustentavam que a Escritura era a regra normativa, autoritativa para a Igreja.
O Princípio bíblico básico…