domingo, 7 de maio de 2017

Inspiração, Infalibilidade, Inerrância, Suficiência e Clareza das Escrituras - Edu Marques

Imagem relacionada



Inspiração das Escrituras

Desde o fechamento do cânon, Deus agora fala com toda autoridade apenas por meio de sua Palavra. Os 66 livros do AT e NT. Não que Deus tenha cessado as profecias, visões e revelações extra-bíblicas, ele pode se manifestar dessa forma assim como quiser e as Escrituras não afirmam a sua cessação, mas Deus deixou nas Escrituras toda a sua vontade revelada ao homem, e é por ela que o homem tem o pleno conhecimento da verdade.

A Confissão de Fé de Westminster no capítulo 1 e seção 1 nos diz o seguinte:

I. Ainda que a luz da natureza e as obras da criação e da providência de tal modo manifestem a bondade, a sabedoria e o poder de Deus, que os homens ficam inescusáveis, contudo não são suficientes para dar aquele conhecimento de Deus e da sua vontade necessário para a salvação; por isso foi o Senhor servido, em diversos tempos e diferentes modos, revelar-se e declarar à sua Igreja aquela sua vontade; e depois, para melhor preservação e propagação da verdade, para o mais seguro estabelecimento e conforto da Igreja contra a corrupção da carne e malícia de Satanás e do mundo, foi igualmente servido fazê-la escrever toda. Isto torna indispensável a Escritura Sagrada, tendo cessado aqueles antigos modos de revelar Deus a sua vontade ao seu povo.

Sal. 19: 1-4; Rom. 1: 32, e 2: 1, e 1: 19-20, e 2: 14-15; I Cor. 1:21, e 2:13-14; Heb. 1:1-2; Luc. 1:3-4; Rom. 15:4; Mat. 4:4, 7, 10; Isa. 8: 20; I Tim. 3: I5; II Pedro 1: 19.

Ou seja, Deus não mais se manifesta a sua vontade através de teofanias, sacerdotes, rituais de purificação, símbolos e cerimônias do AT, e sim, na pessoa de seu Filho Jesus Cristo e pelo Espírito Santo, que caminha lado a lado junto das Escrituras.

De acordo com o ensino de 2 Timóteo 3.16, e outras passagens, todo o AT como o NT são inspirados por Deus. Ela não só "se torna" a Palavra de Deus como a neo-ortodoxia, ela é a Palavra de Deus. O Dr. Clark diz o seguinte:

"Deus falou a Adão, Noé, Abraão e aos profetas. Essa fala não é a palavra escrita, mesmo que todas as palavras - e isso é duvidoso - tenham sido inseridas mais tarde na Bíblia. Os teólogos mais ortodoxos admitem que Jesus, a Palavra de Deus, não era literalmente símbolos de tinta em pedaço de papiro ou velino. Além do mais, o Poder e a Sabedoria de Deus, identificados em 1 Cor.1.24, bem como a Palavra criadora em Pv.3.19,20, não são caracteres hebraicos em uma página. Dessa forma, pode-se dizer legitimamente que a Bíblia é a Palavra de Deus, embora a Palavra de Deus não seja a Bíblia.("The Toronto School",The Trinity Review, August 1979,p.1).

O termo soprada por Deus no grego é theopneustos  na verdade descreve que a Escritura é o sopro que vem da boca de Deus, e inspirada significa respirada. Isso que dizer que todos os pensamentos dos profetas, suas palavras, seus pronunciamentos oficiais, não vinham deles mesmos ou de suas próprias vontades ou pensamentos, esse versículo diz que as palavras registradas nas Escrituras são inspiradas.
O Espírito Santo capacitou os profetas e apóstolos de uma tal forma, que eles foram impelidos a registrar tudo nas Escrituras. Eles foram movidos para que seus escritos não fossem outra coisa a não ser a Palavra de Deus. O originador de toda a Escritura é Deus, e Pedro relata que nenhuma revelação ou profecia vinha de homens. Homens foram usados com sua habilidades pessoais a escrever de modo infalível a Palavra de Deus.
O Espírito Santo governa cada palavra ali descrita, de fato Deus é o autor primário das Escrituras, e ela mesmo afirma  a sua infalibilidade.


A Natureza dessa Inspiração

A Inspiração bíblica, é um divisor de águas do século XX. Existe uma diferença entre a revelação especial e inspiração, a revelação especial é o conjunto de verdades nas Escrituras, já a última é a obra sobrenatural de Deus e do Espírito Santo, sobre todos os autores humanos que escreveram nas Escrituras, que suas palavras se tornaram as palavras de Deus inerrantes e infalíveis. Pela inspiração, Deus concedeu a revelação especial. A posição ortodoxa da inspiração, muitas vezes é chamada de inspiração orgânica, que se refere que Deus não atuou nos escritores humanos de forma mecânica, e sim em harmonia com as leis do seu próprio íntimo. Usou com seu caráter, temperamento, dons e talentos, estilo, instrução e cultura.
Deus iluminou suas mentes de forma que reprimiu a influência do pecado sobre suas obras literárias, e os guiou na escolha de expressões de seus pensamentos e palavras. Eram autores reais escrevendo e comunicando as revelações diretas de Deus.
A visão ortodoxa mantém que a Bíblia é a Palavra de Deus, a suprema verdade absoluta e objetiva. Todo o seu conteúdo é soprado por Deus.
Desde a eternidade, Deus modelou homens para escrever a sua palavra infalível como está descrito em Jeremias 1.4-10:

Assim veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.
Então disse eu: Ah, Senhor DEUS! Eis que não sei falar; porque ainda sou um menino.
Mas o Senhor me disse: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás.
Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o Senhor.
E estendeu o Senhor a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca;
Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e para destruíres, e para arruinares; Jeremias 1:4-10

Deus modelou esses homens, com suas personalidades, talentos e características,  conforme é descrito :

Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe.
Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
Salmos 139:13-16

Para a tarefa de escrever, e em tempo oportuno, Deus fez com que eles registrassem tudo isso nas Escrituras Sagradas.

Os Atributos das Escrituras

Sobre a inspiração, falaram também sobre os atributos das Escrituras. O cristianismo ortodoxo afirma que a Bíblia é infalível e inerrante. O primeiro diz que ela não contém nenhum erro, ela não pode de jeito  ser refutada ou violada. Já a segunda diz que ela é totalmente livre de erros. Ela registra de forma perfeita a história e a ciência e os fatos teológicos.
Existe também uma diferença entre os termos. É entre a potencialidade e a realidade, o atributo da inerrância nos diz que ela  não comete erros. A infalibilidade é mais forte ainda, ela declara  que ela não pode errar. A infalibilidade exige uma total inerrância.
A Bíblia ensina a sua própria inerrância, todas assuas partes são inspiradas. O Livro de Rute, tanto o de Crônicas e o Evangelho de João são inspirados. Suas construções gramaticais contidas nas Escrituras, são produto do sopro Divino do Altíssimo.
Existe uma clareza nela  que qualquer pessoa alfabetizada pode lê-la e entende-la. Mas também, não  significa que nem tudo nas  Escrituras são totalmente claras. A Confissão de Fé de Westminster no capítulo 1 e seção 7 nos ensina o seguinte:

VII. Na Escritura não são todas as coisas igualmente claras em si, nem do mesmo modo evidentes a todos; contudo, as coisas que precisam ser obedecidas, cridas e observadas para a salvação, em um ou outro passo da Escritura são tão claramente expostas e explicadas, que não só os doutos, mas ainda os indoutos, no devido uso dos meios ordinários, podem alcançar uma suficiente compreensão delas.

II Pedro 3:16; Sal. 119:105, 130; Atos 17:11.

O protestantismo ortodoxo sempre afirmou a perspicuidade das Escrituras.

A Autoridade e Suficiência das Escrituras

Não existe outra fonte de revelação divina, só a Bíblia é a Palavra de Deus, e isso é garantido pela própria Escritura. Os livros apócrifos, as tradições humanas do catolicismo, o misticismo espiritual, experiências existenciais, e a teologia sem razão alguma da neo-ortodoxia, não são fontes de revelação divina. Somente as Escrituras são.

As Escrituras não são apenas fonte de autoridade para a igreja, são também  para cada área das nossas vidas. Ela é suficiente para tudo, como o próprio Apóstolo Paulo declarou a Timóteo na sua carta de 2 Timóteo 3.16-17:

Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.
Essa autoridade, depende somente de Deus que é o seu autor e a nossa autoridade, então temos a obrigação de recebe-la porque é a Palavra de Deus. A igreja está sob esse mandato divino de ensinar todo o conselho de Deus, para equipar os santos a realizar suas tarefas ordenadas nela. O crescimento de uma igreja não pode ser medido pelo número imenso de pessoas, e sim pelo conhecimento bíblico ensinado a partir das Escrituras. Como nos diz o Apóstolo Pedro:

Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude;
Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.
2 Pedro 1:3,4

Portanto, nunca se deve permitir a falsa doutrina dentro da igreja e temos a obrigação de combate-la. Esses devem ser repreendidos e se arrependerem de ensinar mentiras contra a Palavra de Deus. O Dr. Clark nos diz o seguinte:

Pureza doutrinária é essencial.(The Pastoral Epistles, sobre Tito 3.10-11).

Carlos Eduardo Marques
Curso: Bacharel em Teologia
Instituto Reformado Santo Evangelho

Dissertação sobre a Inspiração, Infalibilidade, Inerrância, Suficiência e Clareza das Escrituras