sábado, 1 de junho de 2013

A Necessidade da Vigilância Espiritual - Mateus 25:1-13


Entendendo o Contexto histórico do Texto em questão – Mateus 25:1-4:

Na cultura da época, um casal ao noivar fazia promessas um ao outro na casa do pai da noiva, logo em seguida, o casal seguia junto com uma multidão para a casa do pai do noivo onde haveria uma festa que durava aproximadamente uma semana. No Oriente devido ao calor celebra-se as bodas apenas à noite. As “dez virgens” ou “dez damas de honra” tinham o dever de receber o noivo que se aproxima da casa da noiva e conduzi-lo até a casa da noiva como era uma cerimônia realizada a noite era preciso que tais moças tivessem ‘lamparinas’ acesas durante o percurso, pois na Palestina só é possível caminhar à noite provido de lamparinas acesas. Depois que o casal se encontra, todos juntos, inclusive as ‘damas de honra’, as ‘moças’ iam para a casa do pai do noivo para a celebração da festa.
Os rabinos reconhecem a importância da festa nupcial impondo que qualquer pessoa poderia abandonar a Leitura da Lei para festejar.

a.      A aplicação do número dez:

Dez é o número da intereiza; são dez os mandamentos, contamos dez dedos nas duas mãos e nos dois pés juntos, eram necessárias dez pessoas para iniciar a sinagoga, o dízimo (a décima parte) pertence a Deus, são dez as cordas da harpa, portanto, Jesus está se referindo a algo total, a algo pleno. Todos devem estar preparados e cheios do Espírito Santo de Deus.

b.     A aplicação do óleo:

A maioria dos exegetas concorda que o óleo fala do Espírito Santo, portanto, o que caracteriza uma pessoa prudente é “começar, continuar e terminar no Espírito” (Zc. 4). Outros exegetas concordam que óleo fala da Palavra de Deus (Sl. 119:105).

A Lâmpada é o nosso espírito recriado (Pv. 20:27), nossas obras (Mt 5:16)

c.      A aplicação das Virgens:

“Virgem” tem sentido literal no NT em passagens como: Mt 1:23; Lc 1:27; At 21:9; 1 Co 7:25,28,34,36-38 e figurado em passagens como: 2 Co 11:2

A palavra virgem no sentido figurado é dirigido a Noiva de Cristo (2 Co 11:2)

Interpretação e Aplicação da Parábola:

A Parábola tem algumas advertências para a Igreja e para Israel:

1.     A preparação deve ser algo individual – Mateus 25:5-9

O julgamento será individual (Rm. 14:11-12; 2 Co. 5:10), a manifestação da intenção do coração será individual (1 Co. 4:5), a recompensa será individual (Jr.17:10). Ninguém pode orar por você, jejuar por você etc.

2.     Há certas coisas que não podemos deixar para obter no último momento – Mateus 25:5-9

Um estudante não pode se preparar para exames na última hora; o homem desempregado não pode se preparar para a entrevista na última hora. O homem não pode se preparar para a vida eterna na última hora.

3.     Devemos nos preparar para qualquer enventualidade – Mateus 25:5-9

Era comum no Oriente que o Noivo se atrase, porque o atraso indica que ele está negociando um presente de qualidade tanto para a Noiva quanto para seus parentes. Se ele trouxesse um presente de pequena qualidade isso indicaria que ele não valoriza a noiva e nem seus familiares. O fato era que o atraso era esperado e as virgens negligenciaram esse atraso não trazendo óleo em suas vasilhas. O Grande teste para o Crente é o tempo. As virgens adormeceram depois de longo tempo de espera. A bíblia nos conclama a ser longânimes. Prudente é aquele que edifica sua casa na Rocha, no Senhor Jesus (Mt 7:24-27)

Como nos preparamos diante de qualquer eventualidade?

1.     Pela Palavra de Deus – Seu estudo, sua meditação, sua audição

·        Palavra de Deus é geradora de vida (João 6:63)
·        Palavra de Deus é geradora de fé (Romanos 10:17)
·        Palavra de Deus é armadura de Deus (Efésios 6:17)
·        Palavra de Deus é geradora de vitória (Apocalipse 12:11)

2.     Pelo Espírito Santo – Seu batismo, Enchimento e Complitude
(Efésios 5:18-21)

·        Meditando na Palavra – Salmos
·        Cantando – Hinos
·        Gratidão a Deus
·        Sujeição a  Deus e ao próximo

3.     Por conhecer o Senhor – Intimamente e Individualmente

O idioma grego do NT apresenta duas palavras para “Conhecer”, uma se refere a um conhecimento objetivo, mental, da alma (Ginosko) e uma se refere a um conhecimento subjetivo, espiritual, mais intenso (oido). Oido é ter Revelação. Esse é o anseio de Paulo (Fp. 3:10), a promessa de Deus é que todos o Conhecerão (Hb. 8:11). Conhecer é ter relacionamento pessoal e prático.

Conclusão: Amós 4:12b – preparemo-nos para encontrar com Deus conhecendo-O através da Palavra e do Espírito Santo com uma vida de oração e jejum em total dependência do Espírito Santo.